A protagonista feminina de 'Can't Buy Me Love', Amanda Peterson morre aos 43

(Screengrab / Canal Disney Movies On Demand no Youtube)(Screengrab / Canal Disney Movies On Demand no Youtube)

LOS ANGELES - Amanda Peterson, mais conhecida por seu papel na comédia romântica Can't Buy Me Love contracenando com Patrick Dempsey em 1987, morreu no domingo em Greeley, Colorado. Ela tinha 43 anos e seu pai disse ao TMZ que apnéia do sono e outros problemas médicos pode ter contribuído para sua morte.

No filme, Peterson interpretou a líder de torcida Cindy Mancini, a quem o personagem de Dempsey paga para posar como sua namorada para que ele faça incursões sociais em sua escola de ensino médio no Arizona. O filme, dirigido por Steve Rash e com título tirado de uma música dos Beatles, está entre um conjunto de clássicos da angústia adolescente do período junto com a obra de John Hughes.



Ela também apareceu em filmes, incluindo Explorers, The Lawless Land (1988) e Listen to Me (1989), de Joe Dante; seu crédito final na tela foi para o longa-metragem de 1994, Windrunner.





Peterson também teve créditos na TV, incluindo a minissérie da NBC, de 1986, A Year in the Life, que abriu o caminho para uma série de mesmo nome em 1987-88, na qual ela apareceu em todos os 22 episódios interpretando Sunny Sisk. Ela também foi convidada em Doogie Howser, M.D., e apareceu no telépico Hell Hath No Fury and Posing: Inspired by Three Real Stories.

Peterson nasceu em Greeley e fez sua primeira aparição no cinema na adaptação de John Huston do musical Annie quando ela tinha 9 anos.



Há muito ela se aposentou do show business e se casou duas vezes, a primeira com Joseph Robert Skutvik.

Ela deixa o segundo marido David Hartley e dois filhos.